Repressão a camelôs acaba em agressão no metrô

965
Créditos: Reprodução Internet

Ambulantes foram agredidos por seguranças do Metrô Rio na tarde desta quinta-feira dentro da Estação de Engenho da Rainha. A briga teria começado após um camelô ser espancado por um dos vigilantes dentro do vagão. Cerca de 50 pessoas teriam sido detidas.

Colaborador da ANF é detido após filmar ação da GM; veja o vídeo

A confusão desta terça-feira durou 20 minutos e envolveu cerca de dez camelôs que comercializam mercadorias dentro do metrô, o que é proibido. Além do conflito no vagão, imagens exclusivas, filmadas por um cinegrafista que prefere não se identificar, mostram um homem sendo agredido também já na estação por, pelo menos, cinco vigilantes e passageiros correndo para se proteger.

 

 

 

Depois de muito empurra-empurra, o grupo de ambulantes, revoltado com a truculência, quebrou paineis da estação, jogou pedras nos guardas e acessou a via indevidamente, o que causou corte de energia e paralisação no tráfego de trens por cinco minutos. A polícia foi acionada e dispersou a desordem com spray de pimenta.

 

 

 

Segundo o Metrô Rio, a confusão aconteceu entre os próprios ambulantes, contrariando os vídeos do cinegrafista amador e de outros passageiros que compartilharam o conteúdo nas redes sociais. As imagens das câmeras de segurança da Estação Engenho da Rainha foram encaminhadas ao 3º BPM, responsável pela área.

 

Rotina de agressões

A crise e os mais de 1 milhão de desempregados do Rio de Janeiro têm levado dezenas de trabalhadores ambulantes para os vagões do metrô. Desde 2015, casos de repressão a ambulantes e músicos têm se tornado rotina para os passageiros. A concessionária MetrôRio proíbe a atuação de camelôs, pedintes e músicos em suas dependências, chegando a expulsar os infratores das estações quando necessário.