Um Natal de tristeza

356

Nos meus 50 anos de vida, nunca vi um Natal tão melancólico e descaracterizado como esse de 2017. Na verdade, há tempos, o Natal perdeu aquele espírito de paz, amor ao próximo e fraternidade. Como costumo dizer, Natal, hoje, é uma Black Friday com peru e rabanada. Aqui no Rio de Janeiro, teremos o Natal mais triste dos últimos tempos.

Centenas de milhares de servidores públicos municipais e estaduais não têm recebido seus salários normalmente. Os servidores estaduais, então, nem se fala. Pensionistas e bolsistas seguem com o mesmo problema. Muitos ainda têm que receber o 13º salário de 2016. O que o governo estadual tem feito com os servidores é criminoso e perverso. Houve até casos de suicídio, tamanho o desespero.

Já o prefeito da cidade do Rio de Janeiro, que prometeu cuidar das pessoas, está completando um ano do governo mais desgovernado da história da cidade. É um prefeito ausente, que viajou nada menos que nove vezes, e, antes de completar um ano de trabalho, viajou com a família para passar férias em Miami, deixando milhares de prestadores de serviços sem receber o salário de novembro e o 13º salário.

Mas, apesar de tudo e de não ser cristão, esse colunista deseja um Natal repleto de luz, amor e fraternidade para todos os leitores da Agência de Notícias das Favelas.

Compartilhar
Artigo anteriorE chegou o Natal!
Próximo artigoUm ano de luto está acabando
Ativista e produtor cultural, trabalha na área musical desde 1990. Realiza com coletivos várias ocupações político culturais pela cidade, como Ocupa Lapa, O Passeio é Público , Ocupa Marina da Glória, e Ocupa MinC RJ.