Três anos depois, Acari sofre com nova enchente

3590
A água subiu na rua Edgar Soutelo.

A noite desta segunda-feira (12) foi de tristeza e apreensão para muitos moradores de Acari. As fortes chuvas causaram alagamentos e muitos transtornos na favela. A água invadiu diversas casas e muitos moradores perderam móveis e eletrodomésticos. Os transtornos só reforçam, mais uma vez, o fracasso da execução das obras do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento na região, realizadas entre 2007 e 2010.

Desde as 18h30, o Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro informava que a cidade estava em estágio de atenção devido à possibilidade de pancadas de chuva em toda a região metropolitana. A tragédia já conhecida em Acari se repete praticamente três anos depois da enchente que, na madrugada de 11 de dezembro de 2013, surpreendeu moradores e tornou Acari uma das regiões mais atingidas no estado do Rio de Janeiro pelas chuvas. Muitos só tiveram tempo de sair de suas casas com a família e a roupa do corpo. Os transtornos, desta vez, foram menores, mas ainda afetaram muita gente.

15391241_1330433377017185_5552291811910475168_n-1Obras de melhorias costumam resolver esse tipo de problema, mas isso não aconteceu em Acari. Este era o objetivo das obras do PAC, que injetou mais de R$1 bilhão em diversas favelas do Rio e era considerado o maior programa de intervenção urbanística do Brasil. Entre 2007 e 2010, a comunidade recebeu 24 milhões de reais em investimentos. O projeto pretendia impedir alagamentos no entorno do curso do Rio Acari, arborização, espaços recreativos, brinquedos e ciclovias. O que se vê, anos depois das obras, é um completo descaso. A falta de manutenção de brinquedos ao redor da favela, da ciclovia e espaços recreativos se somam aos transtornos já conhecidos das chuvas de verão.

“A casa da minha mãe foi aterrada, e mesmo assim entrou água da chuva ontem. Vivemos em meio à calamidade pública, e as obras não nos ajudaram em quase nada”, desabafa a moradora Andreza Conceição, de 21 anos e mãe de um bebê de 8 meses.

 

Outras favelas também foram afetadas

As fortes chuvas atingiram também diversas favelas da cidade. Por volta das 20h, as sirenes do Sistema de Alerta e Alarme Comunitário da Prefeitura do Rio foram disparados em 13 comunidades: Sapê e São Miguel Arcanjo (Madureira); Parque Silva Vale (Vicente de Carvalho); Brício de Moraes, Juramento, Urubu (Grande Méier); Vila Pequiri e Guaíba (Penha); e Caracol, Sereno, Caixa D’água, Frei Gaspar e Nova Maracá (Complexo do Alemão). Moradores relataram prejuízos materiais nas redes sociais.

 

 

1486787_10200365266054293_1744482450_n_1
Favela de Acari durante a enchente de 2013. (Créditos: G1 / Reprodução Internet)