Teatro de favela ganha mostra no Galpão Gamboa

170

Com o foco artístico totalmente voltado à produção teatral nas comunidades do Rio, o projeto Comunidade em Ação, parte do programa Fomento Cidade Olímpica da Secretaria Municipal de Cultura, convida quatro grupos teatrais para apresentar seus repertórios no Galpão Gamboa. Os espetáculos “Eles não usam tênis naique” (Cia Marginal-Maré), “O que será de nós daqui a 4 anos?” (Os Arteiros – Cidade de Deus), “No passinho do Tabajaras” (Cia de Trabalho Abraço da Paz) e “Cidade Correia” (Coletivo Bonobando) serão encenados no período dos Jogos Olímpicos, durante os fins de semana de agosto. Na abertura do evento, dia 6/08, às 16h, haverá um debate sobre produções artísticas das comunidades. As sessões serão gratuitas, aos sábados e domingos, sempre às 19h, com tradução em libras.

 

290081_625923_foto_rataodiniz_eles_nao_usam_0051_06a0071__1__web_
“Eles Não Usam Tênis Naique” abre mostra no próximo sábado. Créditos: Divulgação

A mostra é uma oportunidade para que jovens artistas troquem experiências por meio do teatro e reforcem suas identidades, expandindo seu público e reconhecimento no cenário artístico carioca. Para Cesar Augusto, curador do projeto, apresentar uma mostra com espetáculos criados em comunidades durante as Olimpíadas é uma forma de revelar o Rio de Janeiro em toda a sua diversidade cultural. “Queremos que moradores do Rio e turistas tenham acesso à atividade cultural produzida nas comunidades. A ideia é fazer com que se conectem com os questionamentos desses jovens grupos”, acrescenta.

Ao longo de seus cinco anos de atividades, o Galpão Gamboa tem o objetivo de promover encontros entre as mais variadas formas de arte, atendendo ao público da Zona Portuária e de toda a cidade. Agora, com o Comunidade em Ação, a plateia poderá assistir trabalhos que focam em ações artísticas elaboradas e praticadas em comunidades do Rio de Janeiro. A mostra convidou produções estreladas por jovens artistas de diferentes localidades do Rio, incluindo Cidade de Deus, Vidigal, Complexo da Maré e Vila Cruzeiro, entre outras. Os espetáculos selecionados fizeram temporada em teatros da cidade e trazem grandes nomes como a dramaturga Marcia Zanelatto e os diretores Isabel Penoni, Fernando Barcellos, Adriana Schneider e Lucas Oradovschi.

 

Serviço
Festival de Teatro Comunidade em Ação
Data: 06 a 28 de agosto (sessões aos sábados e domingos, às 19h)Local: Galpão Gamboa – Teatro
Endereço: Galpão Gamboa (Rua da Gamboa, 279, Gamboa – RJ)
Entrada franca
Capacidade: 80 lugares
Classificação: 18 anos
Tradução em libra

 

Programação completa

Debate abertura: 06/08, às 16h
Mediador: Jorge Freire (gerente dos teatros da Prefeitura do Rio)
Mesa: Adriana Schneider (Coletivo Bonobando), Fernando Barcellos (diretor dos Arteiros).

“Eles Não Usam Tênis Naique” (Cia Marginal – Complexo da Maré)
Sinopse: Inspirada na obra “Eles não usam black-tie”, de Gianfrancesco Guarnieri. Com texto inédito e premiado de Marcia Zanelatto e direção de Isabel Penoni, a peça revela um conflito geracional entre um pai, ex-traficante, e a filha, traficante, apresentando um sutil panorama do histórico da marginalidade nas favelas da cidade.
Datas: 6 e 7/08
Duração: 75 minutos
Classificação: 14 anos

“O Que Será de Nós Daqui a 4 Anos?” (Os Arteiros – Cidade de Deus)
Datas: 13 e 14/08
Sinopse: “O que será de nós daqui a 4 anos?” conta a história de nove crianças, todas nascidas em 2001, residentes em um abrigo municipal, à espera de uma família adotiva que as retire daquela condição. Com base em uma pesquisa aprofundada em instituições e a partir de entrevistas realizadas com agentes envolvidos nesse contexto, os jovens artistas encarnam algumas dessas histórias, sob a direção de Fernando Barcellos, fundador da companhia ao lado de Ricardo Fernandes e do cineasta Rodrigo Felha.
Duração: 60 minutos
Classificação: 13 anos

“No Passinho dos Tabajaras” (Cia de Trabalho Abraço da Paz)
Datas: 20 e 21/08
Sinopse: O espetáculo usa o funk como fio condutor da história e a coreografia como recorte das cenas. No enredo, o personagem Lequinho é um menino de origem humilde, cheio de sonhos, que, além de jogar futebol, adora dançar. Criado pela mãe na comunidade dos Tabajaras, Lequinho arruma seu primeiro emprego, onde e apaixona por uma jovem vendedora. No elenco artistas moradores de Bangu, Copacabana, Tijuca, Jacarepaguá, Caxias, São João de Meriti, Rocinha e Morros dos Cabritos.
Duração: 60 minutos
Classificação: livre

“Cidade Correria” (Coletivo Bonobando)
Datas: 27 e 28/08
Sinopse: Com direção de Adriana Schneider e Lucas Oradovschi, o espetáculo do Coletivo Bonobando fala sobre a cidade. Inspirada coletivamente em imagens, filmes, situações cotidianas, histórias de vida e contos literários. Uma cidade inventada, a deriva, que poderia ser a nossa, ou qualquer outra: caótica, contraditória, maravilhosa.
Duração: 60 minutos
Classificação:12 anos