Sustentabilidade e cultura no Leopoldina Orgânica; veja fotos

312
Evento voltado para sustentabilidade levou feira e atrações culturais para dez bairros e favelas do Rio. (Créditos: Pedro Santos / RACC)

Nesse fim de semana, praças de favelas e bairro de toda a zona do Subúrbio da Leopoldina amanheceram mais coloridas. O coletivo Leopoldina Orgânica, a primeira feira do gênero no subúrbio carioca, passou por Manguinhos, Complexo do Alemão, Vigário Geral, Bonsucesso, Ramos, Olaria, Penha, Brás de Pina, Cordovil e Parada de Lucas nos dias 09 e 10 de dezembro. Atrações culturais e sustentabilidade fizeram parte da programação.

O Festival Leopoldina Orgânica aconteceu pela primeira vez na região. A iniciativa é do coletivo de mesmo nome, que criou a Feira Orgânica de Olaria. Ela ocupa a Praça Mauricio Cardoso todos os sábados, desde 2014.

– Lá na praça, aquilo que se liga ao propósito de justiça social ou sócio ambiental nos diz respeito, tem espaço e microfone aberto. Existe lugar para opiniões distintas, tem lugar para aprendermos a nos alimentar melhor, tem lugar para tudo e para todos. Só não tem lugar para intolerância às diferenças, explica Téo Cordeiro, fundador do coletivo.

O objetivo do festival não foi só promover um subúrbio mais sustentável, mas também mostrar a cultura de cada localidade com suas diferenças e peculiaridades, recheado de muita música, dança, artesanato, terapia corporal, teatro e, claro, gastronomia saudável – tudo feito pelas próprias comunidades.

Entre os diversos presentes, participaram das ações o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA-BRASIL), Projeto Marias, Balé Manguinhos, projeto social que acolhe mais de 200 jovens moradoras de favela e o 1001 Espetáculos, ônibus transformado em equipamento teatral que percorre todo o Rio de Janeiro levando teatro enquanto arte e despertar a consciência do cidadão.

Os projetos de extensão da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ENSP, FIOCRUZ e SEELJE, Laboratório Culinário de Manguinhos e Biodiversidade, Cultura Alimentar de Gastronomia trouxeram a degustação de novos sabores com as chamadas PANC, plantas alimentícias não-convencionais, como geleia de hibisco e pasta de ricota com picão. A ideia era fazer com que a comunidade aprenda a usar as PANC no seu dia a dia.

Em Manguinhos, o festival aconteceu na Biblioteca Parque. Veja fotos abaixo.