Sede da ONG Redes da Maré é invadida pela polícia

1077

Hoje pela manhã, agentes do Batalhão de Operação Policiais Especiais (BOPE) e o Comando de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro invadiram a sede da ONG Redes de Desenvolvimento da Maré (REDES). A organização alega abuso de autoridade. A região da Nova Holanda e Parque União, no Complexo da Maré, é alvo de operação policial.

Segundo testemunha, que prefere não se identificar, os policiais chegaram à organização por volta das 9h da manhã e subiram até o 3º andar, onde reviraram os armários e também danificaram a porta do setor de comunicação. “Recebemos denúncias de moradores, dizendo que suas casas também foram invadidas. Estamos no meio de um conflito, não podemos fazer nada além de nos esconder e torcer para ficar vivo”, relata.

A Redes da Maré se mostrou, nas redes sociais, indignada com as ações: “Um caveirão está parado na nossa porta. Estamos sendo violados em nossos direitos. […] Essa absurda ação da Polícia Militar do Rio mostra a lógica de criminalizar instituições que atuam na defesa dos direitos dos moradores da Maré”. A REDES é uma organização da sociedade civil que se dedica à promoção e ao desenvolvimento das comunidades do Complexo. Recentemente, a organização foi responsável pela campanha “Somos da Maré. Temos Direitos”, que busca mobilizar e conscientizar os moradores locais sobre os seus direitos com relação à área de segurança pública.

Relatos nas redes sociais dão conta dos momentos de tensão vividos na favela, que é alvo de operação do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Crianças não puderam sair de casa para ir à escola devido ao intenso tiroteio. “As crianças têm que ir para escola, mas não podem”, afirma um morador. “Acordei com barulho de muitos tiros. Tem 2 blindados na favela, que Deus nos proteja!’, descreve outro.

Em nota, a assessoria da Polícia Militar afirmou que houve confronto com suspeitos armados, apreensão de armas e drogas e que um homem foi ferido, mas não se pronunciou sobre as denúncias de invasão à sede da Redes da Maré.