Premiado no Festival do Rio, filme mergulha no universo das barbearias

Documentário é do mesmo diretor de "A Batalha do Passinho"

622
Créditos: Divulgação

Nos últimos anos, as barbearias das periferias e seus cortes de cabelo estilosos viraram febre, mas os estabelecimentos não perderam também o velho posto de espaço de conversa e camaradagem. O documentário “Deixa na Régua”, de Emílio Domingos, mergulha nesse universo e, ao lado de três barbeiros dos subúrbios do Rio, tenta entender o que está na cabeça da molecada. O filme foi exibido no Festival do Rio e acabou de ganhar um prêmio especial do júri da Mostra Premiére Brasil.

Produzido pela Osmose Filmes, “Deixa na Régua” mostra, com muito humor, o cotidiano agitado de barbearias que se destacam por seus cortes super elaborados. Vila da Penha, Morro da Caixa D’Água e Piabetá (Niterói) foram as periferias escolhidas como cenário e têm os barbeiros Belo, Deivão e Ed como protagonistas. Em uma das cenas, Ed segura a máquina enquanto sabe o que fazer de melhor: “O nome desse corte aqui é coreto. Mas vou te mandar o papo reto, para a maioria das pessoas isso aqui é corte de bandido”, dispara. Esses e outros momentos são o mote do longa, que chama a atenção para a intimidade que os frequentadores só encontram ali. Do último baile na região às diferenças culturais e ao preconceito: tudo pode ser tópico para uma boa e longa conversa.

 

img_0280
Créditos: Divulgação

 

Durante os cinco meses de filmagens, o grande desafio do diretor Emilio Domingos foi se tornar invisível. Ele explica que levou um tempo para ganhar a confiança dos barbeiros e de seus clientes, pois muitos não estavam acostumados com a ideia de serem filmados por uma equipe de cinema:

Antes de começar a filmar, eu fui umas seis vezes à barbearia. Quando a gente ia com a câmera nos primeiros dias, era difícil para as pessoas agirem naturalmente. Mas percebemos que as pessoas, quando estão no salão, estão mais preocupados com a imagem delas, de como vai ficar o corte, de se olhar no espelho… Com isso, elas acabaram se acostumando, explica Emílio, que ainda colhe os louros de seu último filme, “A Batalha do Passinho”, e – não por acaso – é formado em Ciências Sociais.

“Deixa na Régua” não tem previsão para chegar ao grande circuito, mas estão programadas sessões ao ar livre nos bairros onde ocorreram as gravações. O filme participa agora da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.