Praça Mauá reabre neste domingo com festa e atividades gratuitas

335

Porto Maravilha - Praça Maua

Quatro anos depois de fechada para obras do Porto Maravilha, a Praça Mauá reabre em clima de festa a partir das 9h30 deste domingo, 6 de setembro. Ao longo de todo o dia, programação gratuita inclui maquiagem recreativa, oficina de poesia, show de blocos carnavalescos, roda de chorinho, capoeira, apresentação teatral, feira gastronômica com quituteiras tradicionais da Região Portuária e food trucks, artesanato, oficina e distribuição de balões para a garotada. A reinauguração marca uma nova fase da área central da cidade e a reocupação da praça, que ganhará programação cultural própria.

Com a revitalização, a cidade reencontra sua história e reaproxima o Centro do mar. Transformada em esplanada, a Praça Mauá ‘cresceu’ até a beira da Baía de Guanabara. Além disso, o fechamento da Avenida Rio Branco como área de lazer neste domingo, das 7h às 18h, cria a ligação com o Aterro do Flamengo. A Prefeitura do Rio vai implantar esquema especial de trânsito neste primeiro fim de semana, com dois cruzamentos da avenida abertos com o auxílio de operadores de tráfego, nas avenidas Beira-Mar e Presidente Vargas.

A Riotur inaugura um novo centro de informações turísticas, em frente à Praça Mauá, no interior do prédio do Touring Club, do Terminal de Cruzeiros Marítimos. A loja funcionará das 9h às 17h, de segunda-feira a sábado. O posto oferecerá aos moradores, visitantes de outros bairros e turistas material sobre a cidade e dicas dos principais pontos turísticos, restaurantes, hotéis e demais serviços.

Na reinauguração, a Prefeitura do Rio apresenta escultura de 25 metros com a inscrição #cidadeolimpica. Visitantes poderão tirar fotos tendo como paisagem a Baía de Guanabara e o Museu do Amanhã. As letras que formam a hashtag foram grafitadas por artistas plásticos.

Confira a programação gratuita da inauguração:

Programação gratuita:

9h30 – Blocos e escolas de samba da Região Portuária (Vizinha Faladeira e Liga dos Blocos da Zona Portuária)

11h – Samba na Praça com o grupo Choro da Pedra do Sal

13h – Cia de Mysterios e Novidades apresenta espetáculo Chegança do Almirante Negro na Pequena África

14h – Museu de Arte do Rio (MAR) promove a atividade Forma das Palavras na Praça

14h – Roda de capoeira

15h – Cia EnvieZada – espetáculo Modesta Proposta Gourmet

Atividades ao ar livre:

Das 9h30 às 14h – Maquiagem artística para crianças, oficinas de arte com balões e distribuição de balões

Durante todo o dia – Gastronomia com Movimento Sabores do Porto e cinco caminhões de Food Truck (Frites, Nômade, Carolinas, Sudtruck e Biboca)

Esquema de trânsito e transporte:

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes e da CET-Rio, montou um esquema especial de trânsito e transportes para o fechamento da Avenida Rio Branco, das 7h às 18h deste domingo, que funcionará como área de lazer entre o Aterro do Flamengo e a Orla Prefeito Luiz Paulo Conde.

Interdições:

– Avenida Rio Branco entre a Praça Mauá e a Avenida Beira-Mar;

– Praça Mauá entre a confluência da Avenida Venezuela e a Rua Sacadura Cabral e a Avenida Rio Branco;

– Rua Acre entre a Rua Beneditinos e a Avenida Rio Branco;

– Rua Dom Gerardo entre a via de acesso ao Colégio São Bento a Avenida Rio Branco;

– Rua São Bento entre a Rua da Quitanda e a Avenida Rio Branco;

– Rua Mayrink Veiga entre a Rua Beneditinos e a Avenida Rio Branco;

– Rua Beneditinos entre a Rua Mayrink Veiga e a Avenida Rio Branco;

– Rua da Alfândega entre a Avenida Rio Branco e a Rua da Quitanda;

– Rua Buenos Aires entre a Avenida Rio Branco e a Rua da Quitanda;

– Rua Alcântara Machado entre a Rua Mayrink Veiga e a Rua Visconde de Inhaúma;

– Rua Visconde de Inhaúma entre a Rua da Quitanda e a Rua Mayrink Veiga;

– Rua da Candelária entre a Rua Conselheiro Saraiva e a Rua Visconde de Inhaúma;

– Rua Visconde de Inhaúma, faixas sentido Avenida Rio Branco, entre a Rua Primeiro de Março e a Rua da Quitanda;

– Rua Visconde de Inhaúma, faixas sentido Avenida Rio Branco, entre a Rua Uruguaiana e a Rua Mayrink Veiga;

– Rua da Assembleia entre a Rua Primeiro de Março e a Rua da Carioca;

– Rua da Carioca, entre a Avenida Nilo Peçanha e a Rua Uruguaiana;

– Avenida Nilo Peçanha entre a Rua Graça Aranha e a Rua da Carioca;

– Rua São José entre a Rua da Quitanda e a Avenida Nilo Peçanha;

– Avenida Almirante Barroso entre a Rua Senador Dantas e a Rua México;

– Avenida República do Chile, pista sentido Avenida Rio Branco, entre a Rua do Lavradio e a Rua Senador Dantas;

– Rua Treze de Maio, toda extensão;

– Rua Evaristo da Veiga entre a Rua Senador Dantas e a Avenida Rio Branco;

– Rua Araújo Porto Alegre entre a Avenida Rio Branco e a Rua México;

– Rua de Serviço da Praça Floriano;

– Rua Alcindo Guanabara entre a Rua Álvaro Alvim e a Praça Floriano;

– Praça Mahatma Gandhi entre a Rua Senador Dantas e a Avenida Rio Branco;

– Avenida Presidente Vargas, pista lateral sentido Candelária, entre a Av. Passos e Av. Rio Branco.

Cruzamentos que permanecerão abertos à passagem dos veículos:

– Avenida Rio Branco com a Avenida Presidente Vargas;

– Avenida Rio Branco com a Avenida Presidente Wilson;

– Avenida Rio Branco com a Avenida Beira Mar.

Vias que funcionarão com sistema de mão dupla:

– Rua Dom Gerardo entre a via de acesso ao Colégio São Bento e a Rua Primeiro de Março;

– Rua Cortines Laxe entre a Rua Dom Gerardo e Rua Conselheiro Saraiva;

– Rua Teófilo Otoni entre a Rua Primeiro de Março e a Rua Uruguaiana.

Será implantada inversão de sentido de circulação viária na Rua Visconde de Inhaúma entre a Rua da Quitanda e a Rua Primeiro de Março. A circulação de ônibus será proibida na Rua Acre no trecho entre a Avenida Marechal Floriano e a Rua Beneditinos e na Rua Marechal Floriano, no trecho entre a Avenida Passos e a Rua Uruguaiana, no sentido Avenida Rio Branco. Doze 12 painéis de mensagens e 60 operadores de trânsito da CET-Rio, Porto Novo e agentes da Guarda Municipal orientarão os motoristas.

Desvios:

Os motoristas procedentes do Aeroporto Santos Dumont, com destino à Zona Norte, deverão acessar a Avenida Presidente Antonio Carlos, Rua Primeiro de Março e Avenida Presidente Vargas.

Os motoristas procedentes do Aeroporto Santos Dumont, com destino à Zona Sul, deverão acessar a Avenida Presidente Wilson, Rua Mestre Valentim e Av. Augusto Severo.

Os motoristas procedentes da Avenida Presidente Vargas, com destino ao Aeroporto Santos Dumont, deverão acessar a Avenida Passos, Rua República do Paraguai e Avenida Beira Mar.

Histórias da praça, sua estátua e uma volta histórica

De frente para a Baía de Guanabara e no início da Avenida Rio Branco, a obra do escultor brasileiro Rodolfo Bernardelli, a estátua de Irineu Evangelista de Sousa, conhecido como Barão ou Visconde de Mauá, chegou à Praça Mauá em 1910. O responsável por retirar e devolver a estátua à Praça Mauá não herdou de seu pai, Emilio Giannelli, apenas o nome, mas também o ofício de restaurador de monumentos e a função de cuidar do “Barão”. Em 1962, Emilio Giannelli, o pai, removeu pela primeira vez a estátua para a passagem da Perimetral. Ela permaneceu em depósito da Prefeitura do Rio até 1978, quando os Giannelli, pai e filho, devolveram juntos o Barão ao lugar de origem. Mais de 30 anos depois, o filho Giannelli, de 44 anos, é o engenheiro responsável pela tarefa. A estátua foi colocada na Praça Mauá pela importância do ponto, parada final da primeira ferrovia do Brasil construída por ele. Além de urbanizar grande trecho hoje conhecido como centro da cidade, Irineu Evangelista de Souza trouxe iluminação, água canalizada e saneamento básico antes inexistentes na área.

Irineu nasceu no Rio Grande do Sul e morreu aos 75 anos em Petrópolis. Fundou a primeira ferrovia e o primeiro estaleiro do País, a Usina de Gás do Rio e o Canal do Mangue. Iniciou a exploração dos rios Amazonas (AM) e Guaíba (RS) com barcos a vapor, instalou a iluminação pública (a gás) no Rio e cabo submarino telegráfico entre a América do Sul e a Europa. Grande empreendedor, utilizou em suas empresas recursos e maquinários nos padrões adotados na Europa e nos Estados Unidos no período da Revolução Industrial. No começo do século XIX, defendia a abolição e foi um dos principais opositores do tráfico de africanos escravizados. Para o Barão, somente o comércio livre e trabalhadores libertos e com rendimentos poderiam alçar o Brasil a uma situação de prosperidade. Morreu em 1889, um ano após a Lei Áurea, em 1988.