Pesquisadores das favelas se reúnem no Borel

872
Créditos: Reprodução Internet

“Pra que e pra quem servem as pesquisas nas favelas?” Esta é a pergunta que dá título à terceira edição do encontro de pesquisadores de favela que acontece no próximo sábado, 11, no Morro do Borel. Privilégios, racismo e universidade são os temas de discussão do dia, debatidos por estudantes e militantes.

Em atividade desde o ano passado, o projeto tem o intuito de reunir favelados, pesquisadores, acadêmicos e militantes para um espaço de reflexão sobre as questões que envolvem as favelas da região metropolitana do Rio. São convidados do debate a militante do Fórum Social de Manguinhos e Pesquisadora da Justiça Global Monique Cruz, a integrante da Coletiva Magia Negra, assistente social e militante do Fórum de Juventudes RJ Rapha Yves e o produtor da Fortaleceu Produções e mestrando da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense – FEBF/ UERJ Samuel Lima.

“Esperamos continuar fortalecendo esse espaço de diálogo entre pesquisadores e moradores de forma fraternal, mesmo com todas as diferenças e conflitos, além de relacionar que essa questão do privilégio com pesquisa e favela é central. Em sua maioria, os pesquisadores são pessoas brancas, das classes média e alta, e isso é um privilégio”, conclui Fransérgio Goulart, um dos organizadores do encontro.

 

Serviço:
3º Encontro Pra Que e Pra Quem Serve as pesquisas nas favelas?
Data: 11 de Fevereiro, às 10h
Endereço: Agentes Pesquisadores de Favela (Rua Paul Underberg, s/n – Borel)
Entrada franca.