“Omofobia”: epidemia de estupidez assola o Brasil

3977
Créditos: Marcus Galiña / ANF

Há uma epidemia de estupidez avançando no Brasil. Chega a ser assustador. Mas também é ridículo, patético. Nesta semana, o Movimento Brasil Livre – MBL, com o reforço do deputado federal Marco Feliciano, iniciaram uma cruzada moralista insana contra um vídeo lançado pelo sabão em pó OMO para o Dia das Crianças. O texto do vídeo, que diz simplesmente que meninos e meninas podem brincar do que quiserem, recebeu uma reação violenta dos comentaristas.

 

“Comunicado urgente para pais e mães.

Omo convoca pais e mães a fazerem recall de todas as brincadeiras que reforcem clichês sobre gênero com o objetivo de ressaltar a importância da experiência e do desenvolvimento das crianças.

Meninas podem sim se divertir com minicozinha, miniaspirador e minilavanderia, mas também podem ter acesso a fantasias de super heróis, bloquinhos de construção, carrinhos velozes e dinossauros assustadores.

E meninos também devem ter toda liberdade para brincar de casinha, gostar de castelos, trocar fraldas de bonecas e ter uma incrível coleção de panelinhas, porque mais importante que o brinquedo é a brincadeira, a participação dos pais no processo de aprendizagem e os momentos que vão marcar a vida delas para sempre.

Esse comunicado tem caráter educativo e busca convidar pais e mães, nesta data tão especial, a incentivarem seus filhos a se divertir sem se preocupar com cores, regras ou padrões

Junte-se a Omo na campanha pelo direito de toda criança de se sujar e brincar livremente.”

 

Já são, até o momento em que finalizo a coluna, 204 mil descurtidas contra 26 mil curtidas. Os idiotas são maioria? Segue uma coletânea do chorume publicado em dez comentários no YouTube.

“Se meu filho se tornar Homossexual, vou continuar a amar e respeitar a pessoa que ele é! Mas se meu filho se tornar OMOsexual, arrebento ele na porrada! Aqui em casa só entra Ype, nojo de empresa, Unilever e Omo, nunca mais!”

“Vamos lá família Brasileira, vamos mostrar a esses marxistas que querem destruir não às famílias, mas sim às nossas famílias e não às famílias deles como disse e muito bem dito como sempre, o professor Olavo. Vamos mostrar à esses malditos a nossa força.”

“Eis que um estagiário em Marketing que segue ideologias idiotas, apoiador de partidos como PT  acaba com mais uma marca. Não aprenderam com o (Satã)nder na qual perdeu vários clientes com aquela exposição “Criança Viada” e pornografia (arte para eles) ???  #boicotegeral”

“lixos, manipuladores, quem manda no mundo é a natureza, e para ela homem sempre vai ser homem e mulher sempre vai ser mulher, seus merdas, não entra mais nada aqui em casa do grupo de vocês”

“Que horror!!! Agora a OMO quer sexualizar as crianças. Tomem vergonha na cara, seus pedófilos.”

“Agora sim sou OMOfóbico!”

“Unilever nunca mais. Jesus é quem manda aqui seus babacas”

“SABÃO EM PÓ PRA QUEM QUER DOLTRINAR NOSSO FILHO É BRIKHANTE        (BRILHANTE USTRA). DEIXEM AS FAMILIAS EM PAZ. SEXUALIDADE É A FAMILIA QUE CUIDA E Ñ O SABÃO E NEM A ESCOLA”

“#bolsonaro2018”

“Omossexual. Entedi agora. Quer que as crianças se sujem? Se sujem com ideologia de genero. Compartilhar nada. Deslike.”

 

Em resumo: a estupidez talvez seja o maior movimento social de nossa era. 2018 promete.

Compartilhar
Artigo anteriorÉ das minas: Gabz vence Slam Grito Filmes
Próximo artigoDia 12 é todo dia: biblioteca e cinema para crianças na Rocinha
Dramaturgo, diretor teatral, ator, educador e ativista cultural. Escreveu e dirigiu o espetáculo "Mundo Grampeado - Uma ópera tecno-tosca" entre outras produções da Cia Monte de Gente, fundada em 2006. Participa ativamente do movimento Reage Artista e foi um dos articuladores do Ocupa Lapa. É também idealizador do Facedrama, ferramenta de dramaturgia coletiva online. É autor das peças "Entregue seu coração no Recuo da Bateria", "Um de Nós - A Saga quase olímpica de um judoca iraniano" e do musical infantil "Aninha contra o Feiticeiro de Lixoxxx"