O verão na favela é para se esbaldar

2049
Créditos: Bruno Itan

Os dias têm sido quentes por aqui. As famílias têm ficado mais tempo acordadas e fora de suas casas. Calor nas alturas. O verão mostrou sua cara.

As temperaturas têm passado dos 40ºC quase todos os dias. Como sempre, tudo é motivo para que as crianças fiquem mais tempo na rua. Há mais motivos para os homens adultos irem ao boteco tomar aquela gelada. Quando tem água, é banho de mangueira a todo instante. As lajes, durante o dia, estão sempre lotadas de meninas atrás da famosa “marquinha” – coloca-se esparadrapo ou fita isolante em algumas partes do corpo e – tchan! -, lá está ela. É o sucesso de muitos verões, uma febre! Quem não tem laje agora está até alugando por aqui.

As piscinas são outra atração à parte. Quem pode ter uma aprende a dividir logo, e, na sua grande maioria, é tudo de plástico mesmo. Como se diz por aqui: “Onde cabe um cabem dois, onde cabem dois cabe o bonde”. Quem não tem piscina coloca a caixa d’água para rolo e, assim, ninguém fica sem se refrescar. Mesmo com a enorme falta de água enfrentada nas favelas nessa época do ano, sempre se arruma um jeito.

No fim das contas, tudo é motivo para resenha, se transforma em uma maneira de todos se juntarem, queimarem uma carne e rolarem umas bebidas. Pode ser gummy, cervejas, refri, ice, batidas diversas, caipirinhas, pau na coxa… Mas tem que ser tudo bem gelado e ninguém pode ficar de fora. Ah! Como isso é bom!

Aqueles que podem saem da favela nas férias de verão. Vão com caravanas para sítios através de pacotes de passeios vendidos por moradores antigos do morro, que todo ano vendem pacotes de um dia de lazer fora da cidade. Os espaços mais famosos são o Sitio Tucano e o da Amizade. Vai toda a família em ônibus fretados, e a diversão corres solta durante todo o dia: piscinas, futebol, sinuca, pebolim…

Nesses dias de intenso calor, é importante se molhar, seja na porta de casa, de mangueira, na piscina, no chuveiro do banheiro ou ainda na praia: todos querem é se molhar. Para quem nunca tomou um banho de mangueira num dia quente de calor, eu convido a vir conhecer aqui para saber como é. É uma experiência para nunca ser esquecida!

Como é bom poder começar o ano com amigos, em boas companhias, sendo bem-vindos por pessoas de quem gostamos, ao lado de quem queremos espalhar energias boas e amor, dividindo o que temos e recebendo também momentos que serão eternizados até o ano que vem.

Viva o verão na favela! Viva o verão na Cidade Maravilhosa da beleza e do caos!