O policial assobiador

212

Quem passar pela Rua Esperança, esquina com as Ruas Cajueiros, Provisória e Projetada, irá encontrar uma novidade na modalidade UPP Jacarezinho (Unidade de Polícia “Pacificadora”). Ali tem um policial que por um acaso encontra-se de serviço hoje. Me causa a impressão de que eu o inspiro, pois todas as vezes que passo por ele, este fica agitado. Anda pra lá e pra cá, coloca o fuzil pra cima, pra baixo e pro lado, promovendo assim um verdadeiro balé macabro. Quando alcança o clímax, pega a pistola, leva-a até a boca e começa a tirar um som da mesma, numa espécie de assobio. Claro que o público não bate palmas, pois não acha nem um pouquinho engraçado o “show” promovido pelo tal policial. Ele até que tem um jeito de Mambembe, mas esqueceram de avisá-lo que este projeto já não existe mais. Até porque acabou escolhendo um palco inusitado: os becos e vielas do favelão Jacarezinho. Neste palco só cabe os protagonistas diários. Estes sim, são os verdadeiros artistas que historicamente promovem gratuitamente seus shows da vida com as mais variadas peças. Sem sangue e com sangue. Sem sangue são os: desempregos, péssima qualidade de vida, moradia precária, as vezes remoções, desapropriações, despejos, falência no sistema de saúde, etc. Com sangue são: os tapas e socos na cara, as revistas vexatórias com “direitos” inclusive de retirarem seus poucos vencimentos dos bolsos descaradamente pelos agentes do Estado travestidos de policiais, e por fim, as execuções sumárias que infelizmente hoje, acontecem quase todos os dias em alguma favela qualquer.

Penso que a inspiração desse energúmeno acontece ao me ver devido o meu nome artístico Rumba Gabriel. Rumba é uma dança caribenha. Herdei este nome do meu saudoso pai. Este era nada menos que parceiro de Nelson Cavaquinho, Cartola, Nelson Sargento e outros mais. Acredito que o energúmeno não saiba quem são os artistas citados.

Se ele pensa que irá obter sucesso com seus gestos e passos descompassados, será um ledo engano, isto porque, está sendo providenciado um belo texto encaminhado ao Ministério Público o qual pedirá ao energúmeno que se apresente no seu palco principal.