O Natal e a divisão do pão

504

O Natal é comemorado no mundo inteiro pelos cristãos e significa o nascimento Daquele que falou sempre em dividir.

Um dos momentos mais lembrados no Evangelho é quando Jesus se encontra com uma grande multidão e, com o avançar da hora, os discípulos dizem para Cristo: “Este lugar é deserto e a hora é já passada; despede, pois, as multidões, para que, indo às aldeias, comprem alguma coisa para comer”. Jesus então respondeu: “Não precisam ir; dai-lhes vós de comer”. Os discípulos sabendo o que tinham consigo disseram: “Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes”, e Jesus pediu-lhes que trouxessem. Ele, então, disse ao povo que se sentasse na grama. Tomando os cinco pães e dois peixes e olhando para o céu, ele agradeceu e partiu os pães. Deu para os discípulos e eles os deram para o povo. Todos puderam comer e se satisfizeram, sobrando ainda aos discípulos doze cestos com pedaços de pão. O número dos que comeram era cinco mil homens, além das mulheres e crianças. (Marcos 8:1-9)

O mais interessante nessa passagem é quando penso em que momento aconteceu a multiplicação dos pães e peixes. Pelo que já estudei da Teologia, o momento em que acontece não é quando Jesus ora, mas, sim, quando os discípulos se dispõem a servir as multidões. Essa sempre foi a mensagem de Jesus para os discípulos e para todos nós que até hoje comemoramos essa data. Quando nos dispomos a servir, a multiplicação acontece!

Durante toda minha vida, fui prova disso. Sempre acreditei no princípio da doação, do “dai e vos será dado”. Não que espere algo em troca, porém, sei o quanto sou abençoado ao dividir o que posso. Aliás, mais do que isso, sou sempre incomodado pela minha consciência de que se tenho, não posso negar aos que não tem e essa foi a filosofia de vida que, uma vez aplicada no que fazemos, tem-nos feito prosperar.

Por mais que todos tenham falado na crise, esse foi o melhor ano da história da Agência de Notícias das Favelas. Nosso crescimento se comprova pelo número de pessoas envolvidas com nossa organização ou com a ANF Produções, empresa mantenedora de nossa ONG. Temos muito orgulho em afirmar que o compartilhar para nós não é algo exclusivo de uma época do ano. Nosso foco não é voltado para um crescimento meramente financeiro, mas para um crescimento humano, em que as pessoas são valorizadas e são nosso motivo de existir.

Neste dia, quero desejar para todos os que tiveram conosco em 2016 e aqueles que nos acompanham que o sentimento do Natal possa nos incomodar a cada dia do próximo ano e em toda a nossa vida, de maneira que possamos compartilhar e, assim, construirmos um mundo melhor.