O ano novo que esperamos

657
Créditos: Voz das Comunidades

A humanidade é muito ligada aos ciclos. Um dia tem 24 horas, uma semana sete dias, um mês 30 ou 31 dias, e um ano normalmente 365 dias. Ao término de um ciclo de dias, costumamos fazer novos planos, novos votos, e, em todo início de ano, queremos que as coisas sejam diferentes: uma dieta nova, metas para trabalho, para a família e para nossa saúde. A dificuldade não está em colocarmos no papel o que queremos para um novo ciclo, mas ter a disciplina suficiente para que conquistemos o que nos propomos.

Hoje, para muitos, é dia de descanso e planejamento, para amanhã já começar a viver e trabalhar para que 2017 seja um ano muito melhor do que o que vivemos… E será!

Segue a dica de um cara de quase 46 anos e que viveu até hoje uma vida intensa: “É importante observar em quem ou em que investimos o nosso bem mais precioso, o tempo”. Essa é a epígrafe do meu livro, e sempre faço questão de me lembrar disso. Depois que nascemos, caminhamos para um período de existência na Terra que um dia terá seu fim – portanto, usar esse tempo da melhor maneira é agir com sabedoria.

Outra dica é que você coloque sua saúde em primeiro plano. Sem saúde não fazemos nada bem – isso inclui a saúde mental. Outra coisa para se sentir bem sempre e não desperdiçar seu tempo é fazer aquilo que gosta. Sei que pode não ser fácil, porém, tenha isso como meta.

Não deixe de estar perto também de quem você ama e quer bem, assim como não deixe de viver momentos com essas pessoas no mundo real. Que tal viver menos no mundo virtual esse próximo ano? Enfim, são só dicas…

Encerro esse texto desejando, em nome da Agência de Notícias das Favelas, um ano maravilhoso a todos.  Reforçamos que estaremos trabalhando muito para que as informações das favelas do mundo inteiro sejam democratizadas e também para que nossa rede cresça ainda mais, ajudando a diminuir, através da comunicação, a pobreza no mundo.