Número de partidos no país pode chegar a 66

240

partidos

Você sabe quantos partidos existem no país? Nem eu sabia, até começar a escrever esse texto. Não sabia, por exemplo, que em 2015 surgiu, além da Rede e do Partido da Mulher Brasileira, o Novo. Isso mesmo! Um partido que tem o nome de “Novo”. Você sabia? Nem eu! Com isso temos atualmente trinta e cinco partidos em nosso país. Em sua página, declarações de filiados ao Novo dizem que nenhum dos outros 34 partidos os representavam. O mesmo devem dizer os que estão apoiando os outros 31 partidos que estão em formação, segundo o site do TSE – Tribunal Superior Eleitoral. Se esses conseguirem a chancela do TSE, teremos 66 partidos no Brasil.

Surge então uma pergunta: para que tantos partidos? Nosso país, de fato, passa por uma das piores crises políticas de sua história. No poder, um presidente que não foi eleito; no Congresso Nacional, políticos com processos diversos na justiça, que querem tirar o poder de uma presidente eleita legitimamente e contra quem até agora nada foi provado. E o povo? O povo acaba sempre elegendo os mesmos e fazendo os piores se perpetuarem no poder. Com a crise e falta de legitimidade, ainda temos mais pessoas querendo criar mais partidos. Será que precisamos mesmo de mais partidos?

Veja como se forma um novo partido: “O primeiro passo para se criar um partido é obter a assinatura de 101 fundadores, distribuídos em pelo menos nove estados. Em seguida, deve-se registrar a legenda no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Esse registro é provisório e se concretiza com o apoio formal da quantidade de eleitores correspondente a 0,5% dos votos dados na última eleição a toda a Câmara dos Deputados, sem os brancos e os nulos. São necessários em torno de 430 mil eleitores para o registro. Cumpridas ainda outras formalidades, o partido pode participar de eleições, receber dinheiro do fundo partidário e ocupar o horário político no rádio e na TV.” (Fonte: Senado Federal)

Já temos muitos partidos. A possibilidade de mudar a situação do país está em nossas mãos, começando pelas eleições municipais, quando devemos escolher prefeitos e vereadores em todo o Brasil. Essa eleição tem o poder de repercutir, em 2018, quem serão também os que ocuparão as cadeiras no Congresso Nacional, nos governos de Estado e do país. Portanto, precisamos ter a consciência de eleger aqueles que melhor podem, de fato, nos representar. Desconfie de quem já está há muito tempo no poder e nada fez, desconfie de quem só aparece na favela de quatro em quatro anos, desconfie de quem enriqueceu rápido e desconfie, acima de tudo, de quem é de partido que tem atuado contra o seu bem-estar e tem sido contra direitos adquiridos com muita luta pelos trabalhadores.

#votoconscientenafavela