Na correria urbana uma pausa no tempo, não olhem o relógio da Central

189

 

DSCF8706
Foto: Sandra Lima

Uma das coisas mais impressionantes que ouvi  sobre o movimento Rio ao Ar Livre, e o Sarau Ambiental foi o depoimento da bailarina Jéssica Castro.

Jéssica dotada de sabedoria abre nossa visão para questões cotidianas da vida urbana, a correria,  o medo, o olho no relógio da Central.

“De total importância pensar nesse processo de refletir no lugar onde a natureza é tão cheia de potencial, mas em volta existe um  entorno cotidiano que é tão longe dessa respiração e perceber esse lugar, nesse lugar maior, ter esse lugar de pausa. Você agora tão perto do relógio da Central e não olhar para ele e olhar para o céu e o verde é muito importante”, conforme Jéssica Castro.

Acho que essas palavras falam da importância de movimentos como O Rio ao Ar Livre e o Sarau Ambiental, o resgate do contato com a natureza, no meio da loucura urbana, uma pausa , um refrigério uma pausa , não olhem para o relógio da Central.