Movimento Black Rio 40 Anos

673

Exposição e livro resgatam o importante movimento social e musical que teve seu auge no Rio de Janeiro nos anos 1970

 

13413547_850368548441225_5997367276319482073_n

 

No idos dos anos 1960, surgia uma manifestação entre uma nova mocidade negra-mestiça carioca – em sua maioria moças e rapazes oriundos das áreas periféricas da cidade – que ficaria conhecida como Movimento Black Rio. O projeto 1976 – Movimento Black Rio 40 Anos tem início em 2016, com uma série de atividades e produtos culturais, entre os quais exposição, livro e documentário, entre outros.

O movimento teve início nos primeiros bailes de black soul, na época espalhados por bairros suburbanos. Buscava, através de uma nova expressão de comportamento e de costumes, uma afirmação do orgulho negro, contra o preconceito racial e totalmente a favor da dança e da música como formas de libertação.

Já em meados da década de 1970, o movimento chamava a atenção da imprensa como fenômeno de massa. Os bailes e seus DJs, a mola mestra do movimento, alcançavam outros pontos da cidade e concentravam um público que ultrapassava a marca de mais de 10 mil pessoas em cada evento.

Da mesma forma, o movimento influenciou toda uma geração de artistas que promoveria a mistura entre o samba e a MPB com elementos do soul norte-americano marcando profundamente a música brasileira. No ano de 1976 o movimento chega ao auge, reconhecido em uma reportagem histórica de Lena Frias no Jornal do Brasil, com fotografias de Almir Veiga, parte integrante da mostra ao lado das obras exclusivas criadas pelos artistas de rua Fábio Ema e Izolag. O circuito de bailes e shows de artistas negros ganha repercussão nacional, influenciando mobilizações artísticas e sociais em diversas capitais.

Com patrocínio do Natura Musical e da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, o livro e a exposição 1976 – Movimento Black Rio 40 Anos contam a história desses blacks ou browns (tratamento utilizado entre os frequentadores dos bailes de soul nos anos 1970), sua música, suas danças, suas gingas, suas roupas, seus cabelos, seus sorrisos e, mais do que tudo, a sua consciência e espírito de liberdade.

Exposição “1976 – Movimento Black Rio 40 anos”
De 30 de junho a 21 de julho, no Teatro Odisséia
Abertura 30 de junho, a partir das 19h, com a presença dos organizadores, homenageados pelo projeto e DJs convidados
Entrada Franca | Classificação Livre

Teatro Odisséia:
Av Mém de Sá, 66, Lapa – Rio de Janeiro
Informações: (21) 2226-9691