Morador do Jacarezinho usa do bom senso contra o lixo eleitoral

355
lixoeleitoral
Protesto bem-humorado de morador anônimo do Jacarezinho. (Créditos: Hailton Farias / Reprodução internet)

 

Uma cena inusitada chamou a atenção de eleitores da Favela do Jacarezinho na manhã deste domingo (02), dia de votação: um saco de lixo reservava espaço para os santinhos distribuídos por diversos candidatos pelas ruas da comunidade. A foto da quase “obra de arte” anônima logo viralizou nas redes sociais e ganhou centenas de curtidas, compartilhamentos e comentários.

Encarado pelos moradores como um protesto bem-humorado, a imagem refletia o que diversos eleitores do Jacarezinho viram pelo caminho: sujeira, muita sujeira pelo chão. A boca de urna, prática ilegal e comum nas favelas, é o motivo da discórdia com os panfletos distribuídos por cabos eleitorais de candidatos a vereadores e prefeito do Rio de Janeiro que emporcalharam os becos e vielas.

Autor da imagem que viralizou, Hailton Farias, 20 anos, é morador da favela. Politizado, ele sonha cursar direito: “Achei que foi um ato político inovador. Acredito que, quando o morador colocou aquela caixa ali, estava fazendo uma crítica aos políticos e também às pessoas que sujam a própria comunidade”, opina o estudante, que mora no Jacarezinho desde pequeno. “A população precisa saber do poder do voto e isso não é algo fácil”, completa.