Grupo cultural de Realengo lança filme na Cinemateca do MAM

2465
A equipe do filme na Cinemateca do MAM: Vanielle Bethania, Valquíria Pires, Helô Lira, Priscila Mendes, Vânia Maria, Samuel Macedo, Rafael Stewart e Vandré Nascimento (Créditos: Tiago Nascimento / ANF)

O Lata Doida, de Realengo, lançou ontem, 18, seu primeiro filme em grande estilo. A estreia do curta-metragem Chapeuzinho Verde na Mata Atlântica aconteceu na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio, sala de exibição tradicional do cinema nacional.

Antes de chegar à telona, Chapeuzinho Verde na Mata Atlântica nasceu como uma peça de teatral e já tinha virado livro. A releitura do clássico foi escrita por Vanielle Bethania e Vânia Nascimento, idealizadoras e fundadoras do Lata Doida, Ponto de Cultura reconhecido pela educação popular de jovens e adultos através da confecção de instrumentos musicais a partir de objetos reciclados.

A fábula musical é ambientada no Parque Estadual da Pedra Branca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. No elenco do curta, estão educadores e agentes de saúde de Realengo, que com este trabalho ampliam a educação ambiental nas escolas e comunidades na Zona Oeste. “Este é nosso primeiro filme, estamos muito felizes!”, afirma Vandré do Nascimento, um dos atores do filme e também fundador do Lata Doida.

O filme foi realizado no Ciclo de Capacitação do Pontão Arroios através da ONG Cinema Nosso e com o apoio da RioFilme.

Compartilhar
Artigo anteriorTrabalho de negro é trabalho de excelência
Próximo artigoPrefeito, queremos mais!
Tiago Nascimento colaborador ANF, gosto de contar boas histórias através do cinema, do jornalismo e da poesia. Também gosto de distribuir o jornal A VOZ DA FAVELA, tenho um ponto de distribuição no bairro da Glória, perto da rua Candido Mendes. Apareçam para um bate-papo.