Festival de teatro comunitário apresenta programação itinerante

400
I Encontro Internacional de Teatro Comunitário passou por Manguinhos em 2014

De 10 a 21 de novembro de 2016, acontece o III Encontro Internacional de Teatro Comunitário. O festival apresenta shows, debates, palestras e espetáculos de coletivos de teatro de vários cantos do mundo em aparelhos de cultura e favelas do Rio de Janeiro. Cidade de Deus, Rocinha e Borel são algumas das comunidades que recebem atividades.

Produzido pelo Ponto de Cultura Escola POP e Grupo Entrou por uma Porta, O III Encontro Internacional de Teatro Comunitário tem como objetivo a divulgação e o diálogo entre grupos de teatro da América Latina e África. O festival conta com produções da Argentina, Cuba, Paraguai, Colômbia e Cabo Verde, além dos estados de Alagoas, Minas Gerais e São Paulo. Um dos destaques é a montagem coletiva do espetáculo “João Cândido”, como proposta de pesquisa anual dos coletivos, realizada nos dias 18, 19 e 20 de novembro.

Confira abaixo a programação de hoje até 19 de novembro. Saiba mais na página do evento no Facebook.

 

12 de novembro (sábado)
– 14h / Camelódromo da Uruguaiana – Mesa Redonda “O teatro como ferramenta de luta ao golpe”
– 16h / Camelódromo da Uruguaiana – Samba dos Comerciários
– 19h / Escadaria do Selaron – “Antígona en Argentina” (RecuperArte – Argentina) e “Entre Voos” (Cia Gambiarra – BH)

13 de novembro (domingo)
– 10h / Merck – Oficina de Percussão: Murga e Samba
– 13h / Cidade de Deus – Feijoada de 50 anos da Cidade de Deus na FLUPP
– 17h30 – “Histórias do lar de lá” e “Bichos, cantos e encantos” (Toni Edson)

14 de novembro (segunda) – Sede do Sindicato dos Empregados do Comércio do RJ
– 09h – Café da Manhã
– 10h – Debate “Sindicalismo e Teatro Comunitário na Formação Social das Cidades”
– 11h15h – Diálogo da cultura e os trabalhadores no Brasil
– 14h30 – Espetáculo do Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região
– 15h30 – Teatro Político comunitário em Debate
– 16h30 às 18h –  Construção e leitura da Carta de Cultura Sindical Latino-americana contra as Ditaduras
– 18h – “La Empresa Perdona un Momento de Loucura” (Argentina)
– 19h30 – Cortejo artístico para a Pedra do Sal, passando pelo Caís do Valongo e finalizando com a apresentação de grupo cabo-verdiano + roda de samba

15 de novembro (Terça-feira) – Borel
– 10h às 12h30 – Workshop de teatro aberto à comunidade e jogos de teatro para crianças
– 14h30 – Mesa-redonda “O genocídio da juventude negra”, com Jovem Cerebral e Liderança Locais do Hip-Hop
– 16h – Show de Hip-Hop
– 17h – Show com grupos da Argentina, Cabo-Verde, Colômbia e Paraguai
– 18h30 – Espetáculo “A Mala” (AL)
– 20h – Espetáculo “Pudor Seu Nome é Nelson” (MG)

16 de novembro (Quarta-feira) – Escola Martins Pena
– 9h30 às 10h – As gestoras e o teatro comunitário
– 10h30 às 11h30 – Debate: a horizontalização da criação artística
– 14h30 – Heroínas de um sonho: uma luta de gênero e espetáculo “Antígona”
– 15h45 – Roda de conversa “Atrizes e produtoras em primeiro plano”
– 16h45 – Intervalo musical
– 17h15 às 18h30 – “Mulheres de Candido”: construção coletiva de cena feminina de João Candido
– 18h45 – Teleconferência de Olga Gonzales, pesquisadora das Mulheres Gestoras em Comunidades Latino-americanas (Ao vivo da França)
– 20h – Espetáculo “Estaciones” (Colectivo Teatral las Innombrables – Colômbia)

17 de novembro (Quinta-feira)
– 10h às 11h – Apresentação do projeto coletivo “João Candido um exercício coletivo-teatral”: facilitação e diálogo sobre a concepção da montagem coletiva
– 11h15 às 12h15 – Debate sobre os processos de criação das montagens de 2014 e 2015 no festival: teleconferência com Rita Maria (Portugal), Laya Sierra (Espanha) e Edgar Ruas (Colômbia)
– 14h30 – Ensaio obra coletiva Martins Pena
– 17h – Debate sobre a obra coletiva
– 20h – Apresentação da peça nas arenas cariocas Dicró (Penha) e Jovelina Pérola Negra (Pavuna)

18 de novembro – Rocinha
– 15h – Dia de ações teatrais comunitárias
– 20h – Festa da Roça

19 de novembro (Sábado)
– 10h às 17h – Ensaio obra coletiva