Está claro, impeachment é golpe

1163

charge

O pressuposto do jornalismo é a imparcialidade. Também é fundamental que sempre se ouça todos os lados envolvidos e publiquemos matérias que a sociedade possa tirar suas conclusões. Apesar disso, está longe de acontecer isso nos grandes veículos, em especial nos que tem seus interesses, nesse caso, os que são a favor do impeachment. O fato é que todos os veículos tem sua linha editorial, uns são mais voltados para a elite, outros mais para a classe média e outros, como é o nosso caso, para os pobres. Por esse motivo, mediante o que vivemos em nosso país, fui incomodado a não me calar, a não deixar de expor o que penso sobre a situação do meu país, pois se me calo, sou conivente com os que estão tentando dar um golpe através desse impeachment. Para quem não sabe o que está acontecendo, basta se aprofundar um pouco para entender. Se mesmo se aprofundando, concorda com o impeachment, é porque não quer o bem do país! Fazendo minha as palavras do Mano Brown: “quem quer o impeachment não está preocupado com o Brasil”. Foram mais de cinquenta e quatro milhões de votos que não podem ser jogados no lixo. Não há nada contra a Presidenta Dilma Rousseff que justifique o impedimento e isso tem sido divulgado pela imprensa internacional, mas aqui, a imprensa está calada. Seria redundante ficar aqui repetindo, por isso vou colocar aqui em baixo as palavras de Sergio Amadeu da Silveira, doutor em ciência política pela USP, que fez uma avaliação do momento, que é preocupante. Na realidade vivemos em um momento que podemos sofrer o maior retrocesso da democracia das últimas décadas.

“Eduardo Cunha há 237 dias foi denunciado por corrupção.
Michel Temer há 235 dias foi delatado por Júlio Camargo na Operação Lava-Jato.
Aécio Neves há 406 dias foi delatado pela primeira vez pelo doleiro Yussef.
José Serra há 4989 dias foi condenado no caso Proer, mas Gilmar Dantas cancelou a condenação.
35 dos 38 deputados que aprovaram o impeachment na Comissão respondem processos de corrupção.
Janot arquivou até agora as denúncias contra o PSDB na Operação Lava-Jato.
Sergio Moro tornou sigilosa a lista que mostra que o PSDB e o PMDB receberam os maiores valores da Odebrecht.
Estes são os homens que defendem a moralidade e querem cassar a presidente para passar o Brasil a limpo. Cunha, Temer, Aécio, Serra, Janot e Moro são os homens que querem cassar a presidente. Sim, esse é o Brasil do cinismo. Um impeachment por manobras contábeis promovido por um grupo de falsos moralistas que dominaram o parlamento e as funções essenciais da justiça.”

* Sergio Amadeu da Silveira é sociólogo, doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP) e professor da pós-graduação na Faculdade de Comunicação Cásper Líbero

Para finalizar um esclarecimento muito importante: Não sou do PT e a Agência de Notícias das Favelas não recebe e nunca recebeu um centavo do PT. Essa publicação reflete de maneira clara uma angustia e uma grande preocupação com o Brasil, já que sempre buscamos por principios a imparcialidade, porém na eminência de um golpe, a história não nos perdoaria ficarmos calados, a favela tampouco.

André Fernandes – Jornalista e fundador a Agência de Notícias das Favelas.