Enem: alunos de favela têm média mais alta que a do Estado e do resto do país

653

alunos-da-mare

O desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de alunos dos colégios do entorno do Complexo da Maré e do Complexo do Alemão foi superior à média nacional. É o que aponta o estudo sobre o rendimento estudantil de alunos de favela realizado pelo DataLabe, o laboratório de dados da Maré.

Notas de 616 alunos inscritos para prestar vestibular ou conseguir o diploma do Ensino Médio em 2014 foram analisadas no estudo. Eles estavam matriculados em 18 escolas públicas e privadas situadas nos bairros de Bonsucesso, Ramos e Manguinhos. Os resultados dos jovens de favela no Enem foram melhores tanto em comparação com a média nacional quanto com a média estadual, chegando a uma variação de até 40 pontos nas áreas de ciências humanas e matemática (Veja o gráfico).

“O contexto das escolas nas favelas e no seu entorno deixa bastante a desejar: aulas são interrompidas por operações policiais, há conflitos de facções, falta de infraestrutura, de professores e de investimento. Entretanto, conseguimos superar toda a adversidade. Os dados mostram o quanto o preconceito enraizado sobre a favela é totalmente fora da realidade: somos potentes“, explica pesquisadora responsável Paloma Calado, moradora da Maré desde que nasceu.

Até o momento, o atual modelo do Enem tem como objetivo unificar o concurso vestibular das universidades federais brasileiras e atuar como porta de acesso às bolsas de estudos em universidades privadas através do Prouni (Programa Universidade para Todos) e de financiamento por meio do Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior). “A realidade de muitos moradores de favelas só será mudada através da educação, e o resultado da pesquisa mostra que muitos jovens já estão buscando essa mudança”, conclui Calado.