E Viva São João!

396
Arte de Militão dos Santos

Um bem-te-vi canta ao longe anunciando o dia. A natureza se abre para o sol que a aquece e assim se desenrola a vida… Saudade!

“Eu pedi numa oração
Ao querido São João
Que me desse um matrimônio
São João disse que não!
São João disse que não!
Isto é lá com Santo Antônio! …”

Muita coisa mudou nos últimos anos. Antigamente, essa era uma época diferente, mais alegre, movimentada, com muitos cheiros, sabores e sons!

São João, muitas fogueiras e bandeirolas pela rua, muitas barraquinhas com milho, amendoim, canjica, bolo de fubá, pipoca, quentão, uma banda de pífano para botar o povo pra dançar e as quadrilhas com belas roupas coloridas. Passos divertidos que alegravam as noites frias do final do outono, muitos fogos de artifício. No céu, rojões e balões, com as crianças, bombinha, estrelinha, estalinho, vulcões.

Os anos fazem as coisas se aperfeiçoarem ou se adaptarem às novas regras de segurança e convivência. Procurei uma festa de rua com cara de São João e não encontrei. Hoje é uma mistura de parque de diversão com pula pula, escorrega, encontro gastronômico, cervejas artesanais, música de São João ao fundo colocada pelo DJ, uma rápida apresentação de uma banda de pífanos, quentão frio, comida comum, muito brinquedo que gira, que acende, que pisca, mas nada de estrelinha ou estalinhos – quando tem, são cinco unidades em uma caixa cheia de vento. Triste.

Sei que houve muitos acidentes com balões, fogos de artifícios e até mesmo em simples brincadeiras de pular fogueira e bombinhas, além daqueles com fogos mais potentes. O grande volume de balões espalhados no céu nessa época podem causar grandes incêndios.
Mas falo do espírito, da alegria de São João, da rua fechada, das crianças brincando, vestidas de caipiras correndo pra lá e pra cá, do cheiro de milho, amendoim e pólvora no ar.

Levamos as nossas crianças para festas de São João em Laranjeiras e no Arpoador. O cardápio? Hamburger artesanal, quentão frio, choop quente, alguns poucos brinquedos, ninguém vestido de caipira exceto pouquíssimas crianças. Nas carrapetas, “Despacito”. Cadê São João? Pra onde foi todo aquele festejo que já não encontro mais?

Nesse domingo, íamos tentar de novo. Mas quer saber? Vou levar todo mundo pro Zoológico.