Conheça as 4 MCs que estão representando na Batalha do Real

Evento completa 13 anos com presença feminina

3451
Foto: Dhani Borges

O que começou como encontros de MCs no boêmio bairro da Lapa se tornou hoje um dos maiores eventos de batalha no Brasil: conhecida por revelar diversos nomes de referência no rap brasileiro, como Marechal, Emicida e Maomé (Cone Crew Diretoria), a Batalha do Real chega aos 13 anos quebrando paradigmas. A forte presença feminina, em uma cena dominada por homens, marca a temporada 2016. Ruiva, Mell, Samantha Zen e Natalhão duelam com outros 12 MCs em mais uma fase da batalha, que acontece hoje, a partir das 16h, na Arena Carioca Fernando Torres, em Madureira.

Conheça as novas MCs que estão representando a cena do freestyle carioca.

Ruiva

batalha-do-real-ruiva-dhani-borges
Foto: Dhani Borges

Camila Amorim, de 19 anos, é mais conhecida como Ruiva. Moradora da Pavuna, começou a rimar em 2014 e é apresentadora da Batalha da 4P, que ocorre quinzenalmente no bairro. ”A cena do rap aqui na Norte é grande, porém, são poucas as minas que botam a cara. Tenho conhecido algumas mulheres que estão fazendo um trabalho excelente e estão lutando por um espaço também. Acho importante e gosto do impacto que causo por estar envolvida em uma cena em que a maioria é masculina”, afirma. Após a Batalha do Real, Ruiva pretende se dedicar a produção de suas músicas e contribuir para o crescimento do Rap na Pavuna.

Mell

Foto: Rabú Gonzales
Foto: Rabú Gonzales

Moradora do bairro Trindade, Mell Brito chega a essa temporada indicada pela Batalha do Tanque, de São Gonçalo, celeiro fértil de MCs de batalha. Mell se orgulha das suas origens: ”Comecei aqui e sempre vou representar essa cidade em qualquer lugar que eu for”. Segundo ela, a cena de Rap na sua região está cada vez mais intensa, ainda que haja pouca participação de mulheres. ”Por aqui, além da Batalha do Tanque, tem a Roda de Alcântara, o Festival de Rap na Trindade, dentre outros. Mas ainda são poucas as minas batalhando”, completa.

Samantha Zen

Foto: Dhani Borges
Foto: Dhani Borges

”Ser mulher no rap é um desafio constante, principalmente na batalha”, resume Samantha Zen, de 18 anos e moradora de Niterói. Samantha afirma que essa edição da Batalha do Real e as próximas serão um marco na cena. A MC lançou no ano passado o clipe da música “Prepotência Demais” (Assista aqui) e, além das batalhas, vem preparando seu CD. “Às vezes, quando você só se dedica à composição, cria meio que um respeito e admiração nas outras pessoas. Mas na batalha não tem ‘com licença’ ou ‘por favor”’, dispara.

Natalhão

batalha-do-real-natalhao-rabu-gonzales
Foto: Rabú Gonzales

Cria de Bonsucesso e apresentadora na Roda Cultural da Vila do João, Natália de Oliveira Lima, a MC Natalhão, coleciona vitórias em batalhas bem movimentadas na cena, como a Roda do KGL (Catete, Glória e Lapa) e de Olaria, onde conquistou a vaga para a BdR. Aos 20 anos, a sua primeira vitória foi em uma batalha na Baixa do Sapateiro, parte do conjunto de favelas da Maré. Para a próxima etapa, Natalhão se diz focada: “Se eu não pontuar bem, não participo da última etapa, então, preciso vencer essa pra me manter no jogo”.

Serviço:
Batalha do Real – 3ª etapa
Data: 7 de Outubro, 16h
Local: Arena Carioca Fernando Torres (Parque de Madureira – Rua Bernardino de Andrade, 200, Madureira)
Entrada: R$ 20 inteira / R$ 10 meia