Campanha lança Mapa da Exclusão olímpico

561
13716158_362316253891956_6102037249164530047_n
Mapa da Exclusão divulga lista de violações dos Jogos Olímpicos Rio 2016

 

A pouco mais de duas semanas da abertura dos Jogos Olímpicos 2016, o Comitê Popular da Copa e Olimpíadas do Rio de Janeiro lançou nesta quarta-feira o Mapa da Exclusão. A iniciativa é fruto da campanha “Rio 2016, Os Jogos da Exclusão” e resume os efeitos sociais negativos ao impacto da realização dos megaeventos na cidade, que vem a culminar com a realização das Olimpíadas 2016 a partir de 05 de agosto.

Clique aqui para ampliar o Mapa da Exclusão

Remoções de comunidades, violações de trabalho, intervenção militar e impacto ambiental foram alguns dos prejuízos levantados pela campanha, que busca deixar claro o alto custo desse megaevento para a cidade, não apenas financeiro, mas principalmente social. Segundo os dados levantados, 77 mil pessoas foram removidas de suas casas, 11 trabalhadores morreram durante as obras das Olimpíadas na cidade, o número de assassinatos aumentou de maneira alarmante em áreas não contempladas pelos Jogos na cidade e nenhuma meta de despoluição da Baía de Guanabara foi cumprida. Dados oficiais estimam que os investimentos da cidade para receber o megaevento ultrapassam os R$36 bilhões.

As violações ocasionadas pelas Olimpíadas Rio 2016 serão discutidas no fórum Jornada de Lutas, que ocupa o Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IFCS/UFRJ) e outros espaços da cidade entre os dias 01 e 05 de agosto com debates, rodas de conversas, oficinas e exibições. Um ato também já está programado para o dia da abertura dos Jogos Olímpicos.

Confira os dados divulgados no Mapa da Exclusão das Olimpíadas Rio 2016