Bandido bom é bandido morto? Nunca

489
Vista aérea do bairro do Lins de Vasconcelos (Créditos: Rafael Sousa / ANF)

Nossa cidade está mergulhada num caos sem precedentes. Uma das vítimas mais recentes foi minha mãe, assaltada dentro do ônibus 232 (Lins x Castelo). Mas não é por isso que alguém algum dia ouvirá da minha boca que “bandido bom é bandido morto” ou coisa do gênero.

Matar nunca resolveu nada, muito pelo contrário. Prender também não, principalmente considerando o nosso sistema penitenciário, que não ressocializa ninguém. Qual é a solução? Educação e projetos com foco nas populações mais vulneráveis – essa é a saída. Para além disso tudo, faz-se necessário discutirmos a guerra às drogas e os malefícios desta para as populações mais pobres.

Quando a sociedade realmente entender que trabalhar essas questões mencionadas se faz necessário e urgente, poderemos ter mais segurança e qualidade de vida em nossa cidade.