Ato pede por cultura e educação no Complexo de Manguinhos

982
Apresentação da turma de balé da BP Manguinhos durante manifestação contra o fechamento da Biblioteca Parque em dezembro de 2016. (Créditos: Bruno Machado / ANF)

Acontece neste sábado, 25, a partir das 10h, a segunda edição do Sábado Cultural Eu Só Quero É Ser Feliz em Defesa da Cultura da Favela Onde Nasci. O evento é fruto da articulação de coletivos e organizações do Complexo de Manguinhos. Ativistas e produtores locais reivindicam mais acesso à cultura e à educação nas favelas da região.

Estão à frente do ato Agência Comunitária de Comunicação, Associação de Moradores do Samora Machel, Associação de Moradores do Parque Oswaldo Cruz, Ballet Manguinhos, CECIP- projeto Criança Pequena em Foco, Coletivo Recriando Manguinhos, Comissão Contra a Violência na favela, Experimentalismo Brabo, Grupo Undermob, Grupo Teatral do Parque Carlos Chagas, Igreja São Daniel Profeta, Organização Mulheres de Atitude, Projeto Marias: como posso ajudar meu filho especial, Rede CCAP e Transforma Manguinhos.

O objetivo do Sábado Cultural Eu Só Quero É Ser Feliz em Defesa da Cultura da Favela Onde Nasci é pressionar as secretarias responsáveis pelos equipamentos públicos desativados ou operando com contingências no Centro Cívico de Manguinhos, como a Biblioteca Parque de Manguinhos, o Colégio Estadual Compositor Luiz Carlos da Vila e a Casa da Mulher de Manguinhos – todos instalados na área a partir do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC Favelas).

As atividades no sábado acontecem no Centro Cívico, também conhecido como Praça do Dsup (antigo Departamento de Suprimento do Exército). Estão programados multirões na Casa da Mulher e na Escola Compositor Luis Carlos da Vila, apresentações de teatro do Museu da Vida e do Ballet Manguinhos, show do Música na Calçada e a roda de rima Batalha do Conhecimento.