Ativista do Alemão quer disputar eleição para Ouvidoria da Defensoria

907

O Instituto Raízes em Movimento, do Complexo do Alemão, apresentou a candidatura de seu diretor, Alan Brum Pinheiro, para disputar a eleição para ouvidor geral da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro. O mandato corresponde ao biênio de 2018 e 2019. A lista dos três candidatos será votada nesta sexta, 29. A candidatura de Alan, único representante das favelas na disputa, foi definida a partir de uma construção coletiva com diversos parceiros dos movimentos sociais e organizações no Estado do Rio de Janeiro. As propostas do candidato já estão disponíveis na internet.

Leia abaixo a carta de apresentação na íntegra. Mais de 50 grupos e instituições já declararam apoio à essa candidatura.

 

“Parceiras e parceiros,
Nos próximos dias teremos eleição para a(o) nova(o) Ouvidor(a) Geral da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro. Neste sentido, entendemos que chegou a hora de renovação e de propormos uma candidatura que tenha como referência de luta e exigibilidade de direitos as periferias e as favelas do Estado. O acesso aos serviços da Defensoria Pública precisa ser amplamente divulgado e constantemente adequado às necessidades daqueles que mais necessitam de seus serviços.

Diversos grupos, pessoas e instituições de base das periferias e Favelas, além dos parceiros deste campo de luta, estão construindo coletivamente uma nova candidatura e convidam a todas e todos para participarem desse processo.

Coletivamente iremos apoiar a candidatura de Alan Brum Pinheiro para o cargo de Ouvidor Geral da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro.

Para avançarmos numa proposta mais includente, solicitamos o apoio dos grupos e instituições que corroboram da premissa de que a construção deve ser feita sempre a partir da base e nunca na busca de soluções a partir da ótica das grandes corporações midiáticas e empresariais. Estas sempre aprofundaram ainda mais as desigualdades, além de acirrarem as opressões nas periferias e Favelas.

NOSSA CANDIDATURA TEM COMO CENTRALIDADE o enfrentamento ao Racismo , a homofobia e ao machismo. Além da Ampliação ao acesso à justiça dos grupos vulneráveis, em especial, a população negra, as mulheres, crianças e jovens, pessoas privadas de liberdade, deficientes, povos indígenas, população LGBT, população em situação de rua, catadores(as) de material reciclado, pescadores(as), comunidades tradicionais, ciganos; bem como todos os grupos em situação de violência.

Por uma Ouvidoria que amplie o protagonismo dos coletivos de luta na exigibilidade de seus direitos e que possa subsidiar a Defensoria Pública com caminhos que elucidem os distanciamentos históricos das insituições públicas de seus concidadãos.

Solicitamos as organizações e movimentos que apoiam essa candidatura que se mobilize nas redes sociais,nos espaços presenciais e principalmente no envio de e-mails para a defensoria pública e a defensores/as públicas.

NOSSA candidatura é uma plataforma coletiva e desde sempre participativa.

 

INSTITUIÇÕES E GRUPOS QUE JÁ DEFINIRAM APOIO À NOSSA CANDIDATURA:

1.Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência
2.Justiça Global
3. Fórum Social de Manguinhos
4. Movimento Mães de Manguinhos
5. Criola
6. Movimento Independente Mães de Maio
7. Instituto Raízes em Movimento
8. Fórum de Juventudes RJ
9. Agência de Comunicação Comunitária Fala Manguinhos
10.Coletivo Papo Reto
11. FASE – Rio – Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional
12.Cineclube Buraco do Getúlio
13. Casa de Estudos Urbanos
14. Voz da Comunidades
15. Espaço Pra Que e Pra Quem Servem as Pesquisas sobre Favelas?
16. Grupo Conexão G de Cidadania LGBT de Favelas
17. GAS – Grupo Alemão Solidário
18. Instituto Movimento & Vida
19. Coletivo de Comunicação Comunitária Maré 0800
20. Agência de Notícias das Favelas – ANF
21. Favela Art
22. Associação Emergência Social do Complexo do Alemão
23. Associação de Moradores do Morro do Itararé
24. Maré Vive
25. Núcleo Audiovisual Favela – NA Favela
26.Favela em Foco
27.Canal Oro Orum
28. Zona Onírica
29. Juventude de Terreiros Renafro-RJ
30. Uneafro-RJ
31. Verdejar Socioambiental
32. Ifhep
33. Rádio Mutirão
34. Movimento de Mulheres do Cpx. do Alemão.
35. Amires/Duque de Caxias.
36. Cetrab / Centro de Tradições Afro-brasileiras.
37. Ciafro
38. Mídia Coletiva/Portal Independente de Notícias
39. Witness Brasil
40. Mães Vítimas da Violência Policial da Baixada Fluminense.
41. Coletivo Fala Akari
42. Museu Sankofa.
43. Descolando Ideias
44. Comcat – Comunidades Catalisadoras
45. AMAMU /Ass.Mulheres Morro do Urubu
46. Observatório de Favelas
47. Grupo Tortura Nunca Mais
48. App#NósporNós
49. Iasespe/Instituto de Ação Social pelo Esporte e Educação.
50. Rolé dos Favelados
51. Curso Histórias Vivas
52. Educap
53. MTST/ Movimento dos Trabalhadores sem Teto/ RJ
54. TV Tagarela
55. Ass.Moradores do Laboriaux e Vila Cruzado.
56. Ass. de Mães Mães Amigos da Criança / AMAR
57. Comissão de Moradores da Indiana
58. Associação Pamen Central Humana de Educação, Ideias e Formação Alternativa – CHEIFA”