Ainda acredito na esperança

870

Mesmo que tudo pareça meio turvo, mesmo sem poder enxergar um palmo a frente… Ainda assim, continuo a acreditar que existe esperança.

A falta de amor e o desrespeito têm levado o ser humano a uma falta de crença no outro. Hoje, me sinto como que na reserva do combustível que me faz acreditar. O sentimento é de total impotência e falta de ânimo, pois os olhares não são mais fitos uns nos outros. Falta o levantar da cabeça para ver o outro.

É uma lástima tudo isso. A percepção esvaziou-se de si mesma, falta carinho, contato, falta abraço. Os filhos de hoje não respeitam mais os seus pais, os pais geram filhos sem amor e esse círculo maléfico impregnou a nossa sociedade. A célula máter está sendo atacada e desfeita por membros ensandecidos, alimentados pelo ego doentio e sem limites. Essa célula, que constitui a família, está perdendo as suas referências e, assim, tudo segue descendo ladeira abaixo como um grande lamaçal. Nos jornais e nas redes sociais, só se fala em delações e prisões. As notícias sāo escabrosas. Mortes e violência nos cercam a todo instante. A impressão que temos é que o “caldo entornou”, “azedou tudo de vez”. Mais, ainda assim, tenho esperança.

Tenho a obrigação de manter acessa a chama da esperança em mim de forma intensa e viva para que possa preencher toda lacuna aberta, toda ferida interior que nós consuma diariamente. A esperança supre e clareia as trevas, abastece o estoque do que no cotidiano é esvaziado pela injúria e descontrole emocional. A esperança é um combustível que sacia a falta de quase tudo na nossa vida. Ela dosa as nossas necessidades mais intrínsecas e que só cada um de nós sabemos onde deve e como apaziguar. Eu continuo a acreditar que a esperança é a nossa saída nesses dias maus. Ela dissipa as trevas e nos conduz à luz. Ela é a energia motor que nós leva a caminhos menos tortuosos. Por tudo isso continuo me alimentando de esperança a todo momento, todos os dias do ano.

Faço um apelo a cada um que leia esse texto. Deixe a esperança ser o seu condutor, alimente-se também dela diariamente. Encha seus estoques, os recônditos de sua alma de esperança. Deixe-a vir à borda e, quando abaixar de nível, reabasteça novamente. Fazendo isso você vai encontrar forças para seguir adiante. Eu acredito.