15 favelas e bairros da periferia recebem mostra de cinema no Rio

329
Cinegrada no Buraco do Galo, em Oswaldo Cruz, no ano passado. (Créditos: Divulgação)

Do dia 01 ao dia 30 de novembro de 2017, 15 favelas e bairros periféricos da Região Metropolitana do Rio de Janeiro vão poder assistir a filmes de cineastas negros durante a terceira edição do Circuito Cinegrada. A mostra pretende discutir o racismo através do cinema e estimular a circulação de filmes realizados por cineastas negros e negras, dentro das periferias e favelas da cidade. A iniciativa é do Coletivo CRUA.

O circuito começa em 01 de novembro no Morro do Fumacê, em Realengo. A festa de abertura conta com o lançamento do longa-metragem Quilombo da Caçandoca – uma raiz viva, produzido pelo CRUA. Após o filme, representantes da comunidade do Quilombo de Caçandoca, localizado em Ubatuba (SP), trocam ideias em um debate.

São aguardadas exibições também em Pedra de Guaratiba, Cosmos, Ilha do Governador, Anchieta, Quintino, Vila Isabel e em Nilópolis e Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O público da periferia carioca poderá assistir a filmes como Chico, dos Irmãos Carvalho, escolhidos como Melhor Direção, Melhor Som e Prêmio Canal Brasil no Festival de Brasília. A programação conta com filmes musicais como um documentário sobre Tia Ciata dirigido por Mariana Campos, e Minas do Rap, de Juliana Vicente.

A mostra continua por todo o mês de novembro e reúne diversos grupos locais, como o Grupo Jongueiro do Afrolaje e o Ocupa Alemão. A mostra marca presença também nas UERJ e no IFRJ, com os coletivos negros que constroem seus espaços nestas universidades. O Circuito Cinegrada apresenta ainda três sessões infantis, no Morro do Sossego (Senador Camará), Jacarezinho e Irajá nos dias 9, 10 e 12. Para a criançada, vai rolar a animação Nana e Nilo, de Sandro Lopes, e A Piscina de Caíque, de Raphael Gustavo.

Com a parceria com o Festival Internacional Cine Afro – Fica Kunta Kinte, que acontece em Medellín, na Colômbia, o Circuito Cinegrada conta com a exibição de quatro filmes afrocolombianos. A intenção é ampliar a discussão sobre a questão negra para toda a América Latina. Foram selecionados 24 filmes, 21 nacionais e três da Colômbia.

Programação completa disponível na página do Circuito Cinegrada.