13 fatos para não comemorar 13 de Maio

260

1 – 13 de Maio, dia da Abolição da Escravatura, não é dia do negro.

2 –  Até por que, como comemorar menos 9% de parlamentares negros no país e mais de 60% da população carcerária?

3 – Apesar de ser de conhecimento geral a “benevolência” da Princesa Isabel em conceder esse “mimo” aos escravos ou às forças econômicas da Revolução Industrial ávidas por mercado consumidor, é fundamental não deixar dúvidas sobre o acontecimento de 1888, que pouco teve a ver com questões humanitárias.

4 – Isso porque, após a escravidão, a população negra não obteve condições necessárias para uma convivência igualitária e justa no país, causa que gera consequências severas nessa população até os dias de hoje.

5 – O regime de vida e trabalho mudou, a organização de trabalho e da sociedade também. Porém, nenhuma instituição preocupou-se em responsabilizar-se ou amparar ex-escravos. A Lei de Terras foi modificada anos antes da Abolição, impedindo qualquer tentativa de sobrevivência.

6 – Dessa forma, houve no Brasil a Abolição formal, porém, sem oportunidades equiparadas. É como se, em uma corrida, brancos estivessem há séculos vencendo e os negros aunda precisassem aprender a correr, treinar, competir e ganhar. Tudo ao mesmo tempo.

7 – O 13 de Maio teve sua importância simbólica e efetiva, ainda que reduzida. Foi uma vitória de uma classe explorada durante séculos, que se articulou através de intensas revoltas, contra as humilhações que sofria.

8 – Mudanças estão acontecendo. Um conjunto de políticas sociais foi implementada a fim de aumentar as condições sociais e de renda dos pretos brasileiros. Mais mudanças precisam ser conquistadas. O motivo?

9 – Para que qualquer pessoa seja impedida de ser chamada de macaca em um estádio ou que haja pessoas de raças diferentes decidindo sobre seu futuro – por exemplo, afirmando que cotas são irrelevantes, sendo que, na verdade, não pedimos a opinião de ninguém.

10 – Desde o “favor” da Abolição até os dias de hoje, o efeito mais cruel foi a percepção de que o povo negro é um grupo “que se faz de coitado” em vez de legitimamente oprimido, “vitimizado” e não impedido pelas condições sociais de se organizar para defender seus interesses. Ao denunciar a discriminação racial, o negro é entitulado como “complexado”, “mimimi” ou “ressentido”.

11 – Para o movimento negro, desde o início dos anos 80, hoje é um dia nacional de luta contra o racismo. Justamente, queremos alertar para a não participação negra na sociedade brasileira. Trata-se de uma Abolição fajuta.

12 – Entretanto, a data – ainda que não seja comemorativa de fato – se faz importante também para que se consiga discernir a manipulação da história negra pelos governantes e que se continue a combater as diversas formas de exploração que ainda acometem esse povo. O racismo, diferença de salários, sistema carcerário, o genocídio de nossa gente, a objetificação de nossos corpos. A cada dia mais, olhos precisam ser abertos.

13 – Não custa lembrar: 13 de Maio não é Dia do Negro. Sem parabéns.